Diversidade de Gerações no Mercado de Trabalho: Conflito ou Soluções?

Diversidade de Gerações no Mercado de Trabalho: Conflito ou Soluções?

Como relatado em nosso artigo anterior, a complexidade no cenário econômico, Reforma Trabalhista, Reforma na Previdência, Tecnologia e principalmente a mudança comportamental no ambiente de trabalho geram preocupação e ansiedade para a adaptação à nova realidade.

Adaptação, flexibilidade e ganho de novas competências já estão inseridas no vocabulário profissional e as organizações já iniciaram uma maratona para saírem à frente da concorrência e se adaptarem à nova realidade.

São tantas as expectativas no ambiente de trabalho e não podemos esquecer que nesse novo cenário contamos com a diversidade de gerações dentro das empresas.

Baby Boomers, Geração X, Geração Y ou Millennials, Geração Z e num futuro muito próximo a Geração Alpha entrando no mercado.

Como as empresas trabalham com as diferenças e afinidades dessas gerações?

Primeiramente, é preciso entendê-las!

Classificação brasileira das gerações

Nota: as datas de nascimento têm variações dependendo da fonte.

  • Geração Baby Boomers: nascidos entre 1940 e 1960
  • Geração X: nascidos entre 1960 e 1980
  • Geração Y (millennials): nascidos entre 1980 e 1995
  • Geração Z: nascidos entre 1995 e 2010
  • Geração Alpha: nascidos a partir de 2010

A classificação dos perfis das gerações, é uma forma de entender como diferentes experiências na formação do indivíduo (acontecimentos globais, avanços tecnológicos, situações econômicas e sociais) tem conexão com seu ciclo da vida e seu processo de amadurecimento em relação a vida e ao mercado de trabalho.

Cada geração se refere aos nascidos em determinado intervalo de anos e tem um perfil especifico, porém, os nascidos no início de uma geração podem sofrer influência da geração anterior, por isso alguns comportamentos se misturam.

Entendendo a Classificação das Gerações:

Baby Boomers

Os “filhos” da Segunda Guerra Mundial tendem a conquistar uma carreira consolidada dentro de uma empresa de renome. Era o sonho de qualquer trabalhador baby boomer!

O perfil profissional dessa geração está condicionado a lealdade e comprometimento com a organização na qual trabalha, valorizando o plano de carreira e a ascensão hierárquica em uma companhia.

Isso, para eles, era a representação perfeita de realização profissional.

Geração X

A geração X representa os filhos dos babies boomers, viram o surgimento da tecnologia que conhecemos hoje: o computador pessoal, a internet, os jogos eletrônicos, a impressora, o celular, etc.

Essa geração não herdou o mesmo o otimismo em relação às novas oportunidades sociais e políticas, eles chegaram ao mercado e construíram uma carreira sólida.

Hoje são profissionais maduros, que valorizam o aperfeiçoamento e buscam o equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Geração Y

Os millennials são os netos dos babies boomers e foram os primeiros a chegar à idade adulta após o início dos anos 2000.

Essa geração tem uma presença significativa no mercado de trabalho, gostam de se sentir desafiados e de receber recompensas. Se o trabalho não tem desafio e o salário não compensar, buscam novas oportunidades sem hesitar.

São criativos, inovadores e muito críticos, além de ter dificuldade em lidar com autoridade.

Reter um talento dessa geração é um enorme desafio para qualquer RH!

Geração Z

A maioria dessa geração ainda nem entrou no mercado de trabalho, mas já nasceram em um mundo globalizado e tecnológico, vivem conectados e dominam esses recursos por intuição.

Essa geração tem características que podem provocar algumas mudanças no comportamento profissional.

Apesar de serem mais imediatistas e exigentes que os millennials, são mais proativos. Criam soluções quando o mercado não lhe satisfaz, tendendo a um perfil empreendedor.

Buscam um trabalho que atendam seus valores, principalmente sustentável e com responsabilidade social.

Geração Alpha

Assim como a geração Z, essa nova geração já nasceu conectada ao mundo e com algumas características marcantes.

São precoces, curiosos, perceptíveis a tudo ao seu redor, adaptáveis às novas tecnologias, mais inteligentes e independentes.

Com a grande evolução tecnológica, é possível que essa geração esteja mais preparada e seja mais produtiva, porém terão que adquirir competências novas constantemente e se adaptarem as mudanças de mercado, além disso, a educação por meio de autoaprendizagem que já está presente, será um ponto marcante.

Como o futuro do trabalho está em uma constante mudança, é provável que essa geração tenha empregos e profissões que ainda não existam.

A GESTÃO DE DIFERENTES GERAÇÕES

Você consegue imaginar todos esses perfis trabalhando junto?

Imagina o conflito de interesses profissionais entre as gerações diante de visões do mundo e dos negócios serem tão diferentes.

É um enorme desafio na gestão de pessoas!

O que a princípio parece um caos, na verdade é uma grande oportunidade de sucesso para as empresas!

Aproveitar o que cada uma das gerações tem de melhor é uma das melhores estratégias para o negócio, mas com tantas diferenças é necessário entende-las e explora-las para potencializar os resultados.

Para essas diferenças se conciliarem e se tornarem positivas é necessária uma boa gestão de pessoas!

Criação de programas de mentorias, valorização das competências, planos de remuneração customizados, programa de integração entre as gerações, comunicação, entre outros.

Aprender lidar com as diferenças é fundamental, o desafio é não deixar que essas diferenças sejam um limitador.

O mercado de trabalho é competitivo, mas ainda tem espaço para os bons profissionais, independente da geração!